Olá pessoal!

Grupo Editorial Novo Conceito entrou em contato comigo pois me disponibilizaram uma versão online de uma degustação do livro: Dez coisas que aprendi sobre o amor. Logo fiquei animada, pois os livros que essa editora me enviou para resenha só fizeram com que eu pegasse, novamente, um amor pela leitura, que parece que eu havia perdido quando entrei para a faculdade.

A autora é Sarah Butler, e será lançado este ano (2015).

A história fala sobre duas pessoas completamente diferentes e, ao mesmo tempo, que complementam-se: Daniel, um mendigo que lista diariamente os desejos e o que gostaria de falar para sua filha, que ele nunca conheceu; e Alice, que não se sente à vontade entre a família que a cerca e também tem a sua lista, de coisas que a tornam feliz ou triste. O que eles tem em comum, devem estar me perguntando? O amor, é claro, esse sentimento que se torna um dos personagens principais, presente em toda a história.” Segundo a editora.

 

dez coisas que aprendi sobre o amor

O livro:

Confesso que eu esperava mais da capa, ela parece bem artificial e não faz com que eu tenha muita vontade de ler este livro. Dá para perceber que todos os elementos não estão em sintonia entre si. Não sei como serão as folhas e a qualidade do livro pois o que recebi foi uma versão online.

Adorei o fato de ter listinhas durante o livro. “Dez maneiras como as outras pessoas podem me descrever” feita por Daniel, por exemplo. Uma coisa que eu notei nos livros que eu li desta editora: eles sempre inovam alguma coisa.

Sinopse:

“Por quase 30 anos, quando a brisa de Londres torna-se mais quente, Daniel caminha pelas margens do Tâmisa e senta-se em um banco. Entre as mãos, tem uma folha de papel e um envelope em que escreve apenas um nome, sempre o mesmo. Ele lista também algumas coisas: os desejos e o que gostaria de falar para sua filha, que ele nunca conheceu. Alice tem 30 anos e sente-se mais feliz longe de casa, sob um céu estrelado, rodeada pela imensidão do horizonte, em vez de segura entre quatro paredes. Londres está cheia de memórias de sua mãe que se fora muito cedo, deixando-a com uma família que ela não parece fazer parte. Agora, Alice está de volta porque seu pai está morrendo. Ela só pode dar-lhe um último adeus. Alice e Daniel parecem não ter nada em comum, exceto o amor pelas estrelas, cores e mirtilos. Mas, acima de tudo, o hábito de fazer listas de dez coisas que os tornam tristes ou felizes. O amor está em todas as partes desta história. Suas consequências também. Sejam boas ou más. Até que ponto uma mentira pode ser melhor do que a verdade?”

Os protagonistas:

Digo no plural pois temos dois:

Daniel: confesso que senti muita pena dele. Solitário, morador de rua, perto dos 60 anos e com um imenso sonho em poder conhecer sua filha. Há momentos em que ele até acha que um dia, ela poderia estar em um lugar qualquer observando-o, mas infelizmente a única coisa que ele sabe dela é o seu nome. Me simpatizei muito com ele.

Alice: não fui muito fã dela. Ela se sente deslocada da família e o clima entre ela e as irmãs fazem com que a eu pense: por que ela não se dá bem com sua família? Alice muitas vezes evita contato emocional com suas irmãs e isso me deixa com uma certa raiva dela, pois querendo ou não, pela situação em que ela está passando no livro, tem horas que devemos deixar nosso orgulho de lado e agir com amor aos nossos familiares, independente de qualquer desavença que tenha ocorrido no passado.

Personagens Secundários:

O pai de Alice está doente, motivo que faz ela retornar à casa dele para visitar.

Tilly e Cee são as irmãs de Alice.

Não tenho como dar muitas informações pois nas 21 páginas que me foram disponibilizadas não houve informações relevantes que eu pudesse extrair e contar para vocês.

A Leitura:

De palavras simples, que facilitam a leitura de quase todas as pessoas. Descreve bem os lugares, o que me faz sentir mais a vontade no cenário. Senti muita vontade em saber se estes dois personagens principais irão ter uma ligação, se eles irão se encontrar ou se a história do livro será contada de forma separada no mesmo livro (o que eu não iria gostar). Confesso que estou ansiosa para ler o restante do livro.

O post é diferente e não irá parar por aqui. O contato da editora sugeriu que, neste post, eu faça uma lista:

10 coisas que eu aprendi sobre o amor:

  • Nós amamos muito, de forma diferente para cada ser ou coisa. Amamos nossa família, amamos nosso parceiro, amamos nossos animais de estimação, amamos nossa casa, …
  • O amor nos faz fazer loucuras que nunca pensamos que faríamos antes.
  • O amor faz com que conheçamos coisas novas e queiramos ampliar ainda mais nossos conhecimentos, e compartilhá-los com outras pessoas.
  • Choramos, rimos, sorrimos, ficamos brabos, … São sensações que só o amor nos faz passar.
  • Quando se ama alguém, de forma como querer tê-lo como parceiro pelo resto da vida, você traça planos, metas, e sonha muito com o futuro.
  • O amor nos faz abrir mão de certas coisas.
  • Acredito que ele não seja eterno. Você deve se esforçar para que ele seja renovado.
  • Para uma vida a dois, amor não basta. Deve-se ter respeito, compreensão e muita dedicação.
  • A gente fica bobo no início de um amor, com nosso parceiro.
  • Muitas pessoas ficam cegas com o amor.
Tags: , , ,